Banner Local 01 728 x 90

Estudantes usam antenas parab√≥licas para construir fogão solar de baixo custo

O fogão solar opera com base em princ√≠pios fundamentais da √≥ptica geom√©trica

Por Jorge Matos em 20/11/2023 às 11:17:20
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O custo do g√°s representa uma preocupação significativa para inúmeras famílias. Segundo o Sindicato dos Revendedores de G√°s da Bahia (Sindrevgas), os recentes ajustes de preços em 2023 elevaram o valor médio do botijão de 13 kg para uma faixa entre R$123 e R$125, o que impacta o orçamento de muitas famílias. A situação ressalta a import√Ęncia de buscar alternativas seguras ao uso do g√°s. Por isso, os estudantes Alan Santos, Felipe Santos e Micael Marcelo dos Santos, do Centro Estadual de Educação Profissional do Chocolate Nelson Schaun, localizado em Ilhéus, orientados por Geraldo Porto, desenvolveram um fogão solar.

Segundo o orientador, o fogão solar opera com base em princípios fundamentais da óptica geométrica: "o equipamento concentra a luz solar por meio de uma superfície côncava e espelhada. Esse design permite que os raios solares sejam direcionados e convergidos para um ponto focal específico, onde conseguimos, no ponto focal, a temperatura de aproximadamente 400 ¬ļ C, suficiente para o cozimento de alimentos".

Para desenvolver o produto, a equipe usou materiais de baixo custo e que seriam descartados. "Utilizamos duas antenas parabólicas com um raio de, aproximadamente, 30 cm, que estavam sem uso e prestes a serem descartadas. Após a limpeza superficial nas duas antenas, lavamos e lixamos suas superfícies. O procedimento da primeira antena foi colocar uma manta espelhada em sua superfície fixada com cola adesiva. J√° na segunda antena, polimos para que ficasse bastante reflexiva e espelhada, o que gerou melhor rendimento térmico", explica.


Geraldo ressalta o impacto positivo que o fogão pode gerar para as comunidades: "a redução de custos associada ao projeto é crucial, aliviando o ônus financeiro de famílias com recursos limitados, que, muitas vezes, t√™m dificuldade em investir em métodos tradicionais de cozimento. Além disso, o empoderamento das comunidades é um aspecto significativo, uma vez que a proposta oferece uma solução pr√°tica e sustent√°vel para o cozimento, reduzindo a depend√™ncia de métodos tradicionais mais caros".

Nas próximas etapas, o grupo pretende aperfeiçoar o protótipo.

"Queremos aprimorar ainda mais a efici√™ncia do fogão solar parabólico, mantendo o compromisso com a acessibilidade para pessoas menos favorecidas. A principal √°rea de foco ser√° a melhoria do espelhamento, buscando otimizar a produtividade de energia térmica", diz Geraldo.

O projeto conta com apoio da Secretaria de Educação (SEC-BA) e com a coparticipação dos professores Pablo Fernandes e Tatiana Pereira. Para obter mais informações sobre a proposta, acesse este link.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ci√™ncia, Tecnologia e Inovação (Secti) estreou no Dia Nacional da Ci√™ncia e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ci√™ncia, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria. Se voc√™ conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail [email protected].







Fonte: Ascom/Secti

Comunicar erro
Banner Local 02 728 x 90

Coment√°rios

Banner Local 03 728 x 90